Avançar para o conteúdo principal

Angola-O mapa azul escuro de 4$00, CE. 384 de 1955

Fig.1-Selo n.º384, mapa azul claro

Desde 1955 (1) que já era conhecido este erro e a informação da existência de  pelo menos 7 folhas completas com este erro.
No catálogo do Simões Ferreira de 1977, já estava catalogada esta variedade mas  sem qualquer cotação. 
Em 1994 o catálogo especializado da Afinsa tinha esta variedade catalogada mas sem cotação. Já em 2002, surge a cotação, pela primeira vez, de 19,95€. Decorridos mais seis anos e a cotação foi actualizada, aproximadamente, para o dobro, continua a ser um erro mal cotado tendo em conta o número reduzido de exemplares conhecidos.
No catálogo de 2011 dos Selos Postais de Angola já aparece a cotação de 200€, tanto em usado como em novo.

Fig.2-Mapa azul escuro usado
Na figura 2 temos um dos poucos exemplares conhecidos do mapa azul escuro usado, penso que este erro/variedade é mais raro em usado do que em novo.
No catálogo (Mundifil) de 2015 a cotação foi actualizada para 210€.No catálogo de 2019 a cotação é de 300€.


Fig.3-Quadra (**) comprada no 24º leilão do CFP.

No catálogo da XI Mostra Filatélica das Festas de Nossa Senhora do Monte (Sá da Bandeira) existe um apontamento do filatelista Abílio Alves Fernandes com o título "Quatro ensaios da Emissão Carta Geográfica de Angola".

Os quatro ensaios da taxa de 20$00 com as cores dos selos de $05, $50, 2$30 e 10$00, encontramos na legenda do mapa:
  • MOSSÂMEDES;
  • UIJE;
  • MALANJE.
Fig.4-Imagem retirada do artigo do catálogo da XI Mostra Filatélica

e nos selos originais:
  • MOÇAMEDES;
  • UIGE;
  • MALANGE.
Note-se ainda que, nos ensaios já referidos as designações «Casa da Moeda» e »Moura des.» estão trocadas em relação aos selos.  

Nunca vi tais ensaios ao longo destes anos, pode ser que com este alerta apareçam algumas destas provas. 
___________________________________________________________
(1)Álvaro de Castro Brandão e Artur Oliveira de Vasconcelos-(1948-59).Apontamentos sobre erros, defeitos de cunho e variedades de papel e denteado dos selos de Portugal e colónias, Mercado Filatélico.
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     


Comentários

MaisPopulares

Selos Postais 2015-Colónias Portuguesas, 7ª Edição, Mundifil.

Catálogo de Selos Postais das Colónias Portuguesas

Empreza Nacional de Navegação

VAPOR PORTUGAL II (1899)-3998 toneladas, 240 passageiros, dimensões 365/45 metros, era o maior navio mercante da ENN, construído por Sir R. Dixon M’boro. Efetuou a primeira viagem em 6 de novembro de 1899, transitou em 1918 para a companhia Nacional e vendido para a sucata em 1925.(1) Figura 1-Vapor Portugal (II) Fig.2- Sala de jantar do vapor Portugal Carimbos utilizados a bordo do Vapor Portugal 1. Elíptico com a legenda VAPOR PORTUGAL/EMPREZA NACIONAL e ao centro LISBOA Fig.3-Marca utilizada em Lisboa a bordo do vapor Portugal (2) 2. Carimbo de duplo  círculo (28/16 mm) com a legenda -Empreza Nacional de Navegação/ Vapor “PORTUGAL”- e ao centro o desenho de um vapor. Marca não catalogada. Período de utilização: entre 1903 e 1918. Será esta a marca utilizada em Angola, ou outro destino de África, na viagem de regresso a bordo do vapor Portugal? Fig. 4-Carimbo do Vapor   PORTUGAL Batido a azul —————————- 1- Greenwood, Richard (1983

Angola- selo de 10$ com falta de impressão da cor verde.

 

Cabo Verde-Variedades cliché do selo N.º3, a coroa de 20 reis (1ª emissão).

Fenda 2-1 Fenda 2-4 Fenda 3-1 Fenda 4-1 Fenda 4-3      Fenda 4-4 Fenda 5-1 Fenda 5-2 Fenda 5-3 Fenda 7-4

Ceres Coloniais-Variedades de Cliché

No velhinho catálogo de Simões Ferreira já estavam catalogadas algumas variedades de cliché: "Em cada folha de 200 selos há uma fenda no quadro superior do 10º exemplar, por cima da letra « A » da palavra « REPUBLICA ». No 26º exemplar dalgumas folhas de 180 selos dos valores de 1, 2, 5, 8 e 10 cent., há uma fenda no quadro por cima da letra « I » da palavra « REPUBLICA ». VC Nº: XXV Nalgumas folhas de 180 selos de 1/2, 1 1/2, 8 e 20 c., no 167º exemplar nota-se um pequeno defeito de impressão à direita dos « RR »» da palavra « CORREIO », que se assemelha a um « C ». Conhecem-se os selos de 10 c . com o escudete do valor plenamente tintado em vez de branco."(1) No passado dia 23 de Maio foi lançado pelo NFACP o livro "Os selos Ceres das Colónias Portuguesas" do Eng. J. Miranda da Mota. Algumas VC catalogadas VC N.º: CCLII (252) VC N.º: XLVIII VC com linhas horizontais/ oblíquas  catalogadas VC N.º: LXX

The Italian South Atlantic Air Mail Service 1939-1941

 

Carimbo de Lisboa da segunda reforma

Selo obliterado com carimbo da 2ª reforma de Lisboa e carimbo parcial das possessões portuguesas na África Ocidental de Cabinda

Angola- carimbo de recurso oval 200 utilizado na Estação Postal do Lepi